Ainda vale a pena dividir conta da Netflix em 2023?

Até 2023, compartilhar a senha e dividir a conta da Netflix foram práticas recorrentes para muitos usuários da plataforma. A intenção era baratear o custo da assinatura em até quatro pessoas, diminuindo o valor total de R$55,90 por mês. No entanto, a Netflix optou desestimular a prática e proibiu o compartilhamento de senha entre pessoas que residem em locais diferentes.

A novidade surgiu em maio deste ano. A Netflix comunicou a todos que passaria a cobrar um adicional de R$ 12,90 por mês aos usuários que dividirem a mesma assinatura em residências diferentes. A medida surgiu para diminuir o impacto econômico ruim que a empresa sofreu em 2022. Pela primeira vez, a plataforma perdeu mais usuários do que ganhou durante o balanço do primeiro trimestre do ano anterior. Algo que ligou o sinal amarelo entre os executivos.

Com a nova política da Netflix, ainda vale a pena dividir a mesma conta? Entenda o antes e o depois e quanto cada pessoa deve gastar para fazer uma assinatura conjunta da Netflix. Além disso, confira os resultados iniciais para a companhia.

Ainda vale a pena dividir conta da Netflix em 2023?

Antes de proibir o compartilhamento de senha, a Netflix até estimulava que pessoas utilizassem a mesma conta. Um clássico tweet da plataforma, em 2017, volte e meia surge na internet desde que a companhia resolveu começar uma guerra contra os assinantes.

Até as mudanças recentes da plataforma, quatro pessoas poderiam dividir a mesma conta da Netflix. O valor de R$55,90, portanto, caía para menos de R$14, uma diminuição considerável em um valor mensal. No entanto, os tempos são outros. A companhia decidiu não permitir que a prática continuasse.

Agora, apenas pessoas da mesma residência podem compartilhar a mesma conta. Se quiser emprestar a senha para outras pessoas, o espectador precisa solicitar um ponto extra de R$14,90. A novidade só existe para duas opções de planos da plataforma.

Com o plano padrão, de R$39,90 por mês, a Netflix permite apenas um ponto extra. O valor total da conta, portanto, fica R$54,80. O plano premium, de R$55,90, permite outras duas pessoas fora da residência. Ou seja, o plano total com dois pontos extra fica por R$85,70.

Em ambos os casos, portanto, a assinatura da Netflix encareceu em relação ao compartilhamento anterior de senha. Antes, todos conseguiam dividir a mesma conta pelo mesmo valor. Agora, um dos integrantes da divisão precisará, necessariamente, pagar o preço cheio da plataforma.

Resultados da nova política

Quando a Netflix anunciou as mudanças, muitas pessoas acreditaram que a plataforma perderia assinantes ao longo dos meses. Contudo, a realidade demonstrou que a companhia pode criar uma nova tendência para o mercado digital. De acordo com o Collider, a Netflix conquistou mais 2,6 milhões de novos assinantes no mês de julho.

Ainda em junho, a empresa Antenna divulgou um relatório para anunciar os resultados da Netflix após a decisão em inibir o compartilhamento de senhas. Àquela altura, o pico de novos assinantes havia superado, inclusive, o período inicial da pandemia por Covid-19, em março e abril de 2020.

Dados mais recentes, de julho deste ano, informam que a companhia segue com o aumento de assinantes. Em suma, a Netflix obteve 5,9 milhões de assinantes desde que inaugurou o novo recurso. Só em julho, por exemplo, foram 2,6 milhões de novos usuários.

Collider ainda traz mais detalhes sobre o aumento de assinantes da Netflix. Conforme levantamento do site, a maior parte dos novos usuários migrou para o plano com anúncios da plataforma. Inclusive, a reportagem já reflete sobre os impactos dos números da Netflix. Por fim, outros serviços de streaming devem seguir a mudança e proibir o compartilhamento de senhas.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.