Mais uma plataforma de streaming quer impedir o compartilhamento de senhas

Com o crescente avanço das plataformas de streaming e a consequente concorrência acirrada, as empresas buscam estratégias para garantir a fidelidade de seus assinantes e maximizar seus lucros. A Disney+ não é exceção e, após os passos dados pela Netflix, avalia medidas para restringir o compartilhamento gratuito de senhas entre usuários.

O Impacto das Perdas Recentes para a Disney+

Nos últimos tempos, a Disney+ enfrentou um revés significativo: uma queda de mais de 10 milhões de assinantes em um único trimestre. O total de assinaturas despencou de 158 milhões para 146,1 milhões em apenas três meses.

Em suma, um dos desafios mais recentes da Disney+, é a perda de assinantes na Índia. Ao todo, a plataforma perdeu 12,5 milhões de contas a menos. Isso ocorreu devido à perda dos direitos de transmissão de jogos de críquete da Indian Premiere League no início do ano. Além disso, um montante considerável de US$ 210 milhões foi destinado a indenizações para colaboradores dispensados.

A busca por equilíbrio financeiro fez com que a Disney+ revisse seus gastos. No terceiro trimestre fiscal de 2022, os investimentos no serviço de streaming chegaram a US$ 1,1 bilhão. Entretanto, no mesmo período do ano seguinte, este valor reduziu para US$ 512 milhões.

Uma Estratégia Contra o Compartilhamento de Senhas

Em uma conferência recente, Bob Iger, CEO da Disney, revelou que a empresa está considerando formas de limitar o compartilhamento de senhas entre pessoas que não moram juntas. Em suma, essa medida foi mencionada ao site TechRadar. Ela sugere o engajamento da Disney em garantir uma maior restrição de uso para seus assinantes. Ainda não se sabe se esta possível mudança vai afetar apenas o Disney+ ou se estenderá à plataforma Hulu.

Bob Iger se mostrou otimista durante a conferência. Ele acredita que os estúdios de cinema, parques temáticos e, claro, o streaming serão os grandes propulsores do crescimento do grupo Disney nos próximos cinco anos. No entanto, para aqueles que esperam mudanças imediatas na política de compartilhamento de senhas, será preciso aguardar. De acordo com Iger, estas alterações não devem acontecer antes de 2025.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.