Sombras do Passado Final Explicado: O que aconteceu no quarto de hotel?

Lançado durante o Sundance, “Sombras do Passado”, um thriller de terror psicológico de Andrew Semans, rapidamente se tornou o centro das atenções. Palavras como “chocante”, “visceral” e “selvagem” descrevem o filme, acompanhadas de adjetivos ainda mais intensos.

A atuação de Rebecca Hall como a personagem principal, Margaret, se compara à de Isabelle Adjani em Possessão. E assim, promete um filme ao mesmo tempo bem elaborado e intensamente intelectual. Mas, acima de tudo, uma grande questão pairava no ar: a reviravolta no final do filme conseguiria fazer jus ao hype? Agora que o filme foi lançado para um público mais amplo, podemos afirmar: sim, com certeza.

Introdução à trama: Um ar de estranheza

A personagem principal, Margaret (interpretada por Rebecca Hall), é uma executiva de uma empresa de biotecnologia e mãe solteira de uma estudante do ensino médio, Abbie (Grace Kaufman). Desde o início, é claro que há algo estranho acontecendo.

Os olhos de Margaret são intensos e hiper-vigilantes, constantemente em busca de perigo potencial. E o comportamento de Margaret só se torna mais preocupante com a chegada de David, interpretado por Tim Roth.

O papel de David e a reviravolta surpreendente

David aparece no perímetro de Margaret – sentado em seu vagão de trem, entrando em uma loja de bagels – e sua presença a envia em pânico. Com a chegada de David, o espectador começa a entender que ele foi o abusador de Margaret. As pistas estão lá: queimaduras de cigarro nas costas de Margaret, um pesadelo de um bebê gritando sendo assado no forno, um comentário críptico de David de que alguém chamado Ben está em sua barriga.

O monólogo de Margaret para um estagiário sob sua supervisão, onde ela abre sobre seu passado com David, é o momento crucial. Ela descreve o abuso, a manipulação, e a terrível revelação de que David comeu o bebê que tinham juntos, Ben, alegando que Ben continuava vivendo dentro dele.

O confronto final: Margaret contra David

Depois de um longo jogo de gato e rato entre David e Margaret, o acerto de contas final ocorre em um quarto de hotel. Aqui, Margaret descobre que o impossível é, de fato, verdade: ela pode sentir Ben dentro da barriga de David.

Com uma faca escondida, Margaret amarra David e procede a cortar seu estômago em busca de Ben. É uma sequência brutal, mas catártica, que termina com Margaret sorrindo para o pequeno Ben, vivo e bem em seus braços.

Interpretação do final: realidade ou delírio?

Existem várias maneiras de interpretar este final, bem como a última cena que mostra uma felicidade doméstica tranquila interrompida pelo medo iminente. Pode-se interpretar literalmente o final: Margaret resgata seu bebê da barriga de David e o leva para casa para cuidar dele com Abbie e seu novo parceiro Peter.

No entanto, o último suspiro de Margaret, uma expressão de horror, indica que seu trauma não pode ser superado facilmente. Além disso, há a questão de como ninguém parecia notar o cadáver despedaçado no quarto do hotel, e se foi notado, como ninguém apresentou qualquer acusação contra a mulher que o fez, independentemente de quão justificado.

Por fim, outra possibilidade é que o clímax seja uma ruptura da realidade, o resultado da psique de Margaret rachando ao ponto de imaginar algo tão absurdo e fantástico acontecendo. Mas, se for esse o caso, quando acontece a ruptura da realidade? Antes de ela se encontrar com David? Depois de matá-lo?

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.