Referências de Stranger Things ao jogo Dungeons and Dragons

Stranger Things está cheia de referências ao mundo nerd, mas quais monstros famosos de D&D a série fez referência até agora? Em suma, Stranger Things ganhou elogios instantâneos da crítica graças à combinação única de ficção científica, horror, mistério de cidade pequena e drama de amadurecimento. 

Apesar da mistura quase incomum, a série tem sido um grande sucesso para a Netflix e seus criadores, os Duffer Brothers. A cultura pop dos anos 80 surge constantemente em Stranger Things, com a série referenciando tudo. Desde Aliens, Stephen King a filmes de terror obscuros de Larry Cohen. 

Em Aliens, o próprio Paul Reiser faz sua estreia no programa na 2ª temporada. As músicas também que voltaram ao topo como Running Up That Hill (A Deal With God) de Kate Bush e Master of Puppets do Metallica. Ademais, um dos marcos culturais mais populares da década é o RPG de mesa Dungeons and Dragons

Os nerds de Stranger Things, Dustin, Will, Mike e Lucas, são fãs entusiasmados do jogo, especialmente na 4ª temporada. É quando eles se juntam ao Hellfire Club de Hawkins High e protegem seu Dungeon Master Eddie Munson (Joseph Quinn). Como resultado, eles costumam usar a tradição do jogo para descrever e contextualizar os muitos monstros de ficção científica que aparecem ao redor de Hawkins. 

Três dos antagonistas mais notáveis ​​​​do show são nomeados com monstros famosos do D&D. Com cada um desses nomes sendo usados ​​para representar um ser diferente que vem do submundo obscuro do Mundo Invertido. Juntamente com as outras referências de D&D vistas em Stranger Things, cada vilão compartilha notáveis ​​semelhanças e diferenças com suas contrapartes do jogo.

Em Stranger Things 2, Will deveria matar Bob durante possessão

Referências de Stranger Things ao jogo D&D

Abaixo, confira todas as referências de Dungeons and Dragons em Stranger Things:

Demogorgon

Divulgação: Créditos: Stranger Things

Primeiramente, o vilão original de Stranger Things, o Demogorgon, tem sido central no enredo desde a cena de abertura da primeira temporada, quando atacou e sequestrou Will. Apesar de ser o principal antagonista, o Demogorgon na verdade não se parece em nada com o seu homólogo do jogo.

Quando Eleven avisa Mike, que um monstro real emergiu do Mundo Invertido, ele produz um modelo em miniatura e apelida de “o Demogorgon”. O monstro do jogo é um demônio notoriamente difícil de derrotar, ostentando uma cauda bifurcada, tentáculos e duas cabeças em sua aparência inspirada em górgonas.

O Demogorgon de Stranger Things, por sua vez, se assemelha mais a um mash-up de monstros de filmes dos anos 80 do que ao monstro D&D que inspirou seu apelido. O Demogorgon tem uma aparência relativamente humanoide e é de estatura pequena em comparação com o gigantesco inimigo de D&D. As características mais notavelmente monstruosas são suas longas garras e boca gigante com presas semelhantes a lampreias.

Devorador de Mentes

O segundo monstro notável de Stranger Things a se inspirar de Dungeons and Dragons, o antagonista de aranha da terceira temporada, o Devorador de Mentes, deve muito mais à sua contraparte no jogo do que apenas um nome. Em termos visuais, é uma massa de membros carnudos e contorcidos com uma mandíbula com presas.

No entanto, o modus operandi do Mind Flayer do programa é quase idêntico ao de sua inspiração no jogo. Dustin descreve o Devorador de Mentes como um monstro interdimensional cuja origem é desconhecida, que escraviza outras espécies assumindo o controle de seus cérebros. 

Isso é exatamente o que o Devorador de Mentes faz, começando com Billy, o meio-irmão mais velho e abusivo de Max. O eventual auto sacrifício de Billy o faz se redimir assumindo o Mind Flayer que o controlou como um fantoche. Provando que, embora o Mind Flayer de Stranger Things possa diferir na aparência do humanoide esbelto e com cara de lula, sua função é quase idêntica.

Vecna

Divulgação: Créditos: Stranger Things

Dustin, compreensivelmente, rotula o vilão da quarta temporada como o lich imortal de Dungeons and Dragons. Ao nomear o vilão, Dustin e Eddie lembram que Vecna ​​de Dungeons and Dragons é “uma criatura morta-viva de grande poder… um lançador de feitiços… um mago das trevas“. Stranger Things também menciona a “Mão de Vecna”, um artefato maligno de imenso poder.

O Hellfire Club na estreia da quarta temporada de Stranger Things é uma excelente maneira de construir Vecna ​​silenciosamente. Em primeiro lugar, apresenta o vilão de D&D como fonte de inspiração para o eventual nome do vilão de Stranger Things, como sempre fez. Também inclui dicas como o fracasso de Eleven contra Vecna ​​e o “Cult of Vecna”. Que pode desempenhar um papel mais significativo na 5ª temporada, considerando o exército de vítimas emaranhadas de videiras que Vecna ​​construiu em seu Mindscape. 

A série explica que Vecna ​​é a principal causa de tudo relacionado ao Upside Down acontecendo nas últimas quatro temporadas, mostrando que ele criou o Mind Flayer, caçou Eleven e efetivamente moldou Hawkins do Upside Down.

Outras referências de Dungeons & Dragons em Stranger Things

O Demogorgon, o Devorador de Mentes e Vecna ​​podem ser os três monstros que ganharam suas próprias encarnações de Stranger Things, mas eles não são os únicos antagonistas de Dungeons and Dragons referenciados na série. 

Durante a campanha de Natal do programa, Lucas decapita com sucesso a Thessalhydra, cortando as sete cabeças do monstro (o monstro do jogo tem oito, o que pode ter sido um prenúncio usado para implicar que alguns inimigos considerados derrotados não estão realmente mortos – como Vecna). 

Por fim, outra referência é o Cavaleiro Perdido, que pode ser como um exemplo, a Eleven, que passa grande parte da ação da segunda temporada perdida e longe de seus amigos, ou o pobre Bob Newby, o interesse amoroso de curta duração de Joyce Byers, que morreu muito cedo. 

Enquanto isso, a Princesa Orgulhosa poderia se referir a El novamente, cuja frustrante má interpretação das interações de Mike com Max leva a grande parte de seu isolamento na segunda temporada. Também pode se referir à própria Max, que passou grande parte da segunda temporada querendo ser abraçada pelo grupo, recusando-se a reconhecer que gosta de andar com Dustin, Mike, Lucas e Will por grande parte da segunda temporada de Stranger Things.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.