Paternidade: História Real por trás do Filme

O drama “Paternidade” da Netflix nos apresenta a emocionante trajetória de um jovem viúvo. No filme, ele tenta criar sua filha recém-nascida após a trágica morte de sua esposa. Intercalando momentos de comédia em meio a um enredo predominantemente sombrio, a película consegue capturar a autenticidade da experiência humana. Mas até que ponto essa história emocionante se baseia em eventos reais? Vamos descobrir.

A Verdade por Trás de “Paternidade”

“Paternidade” tem suas raízes na realidade. O filme se inspira no livro de 2011 “Two Kisses for Maddy: A Memoir of Loss and Love” escrito por Matthew Logelin. A obra, por sua vez, tem inspiração na dolorosa perda de sua esposa pouco depois do nascimento de sua primeira filha.

Para Logelin, o livro era seu próprio “Taj Mahal”, uma ode ao seu amor por sua falecida esposa, Elizabeth (“Liz”). Curiosamente, durante uma visita ao verdadeiro Taj Mahal na Índia, Liz havia dito a Matt que ele nunca faria algo tão especial por ela. Logo, essa lembrança impulsionou o viúvo a escrever sua memória.

O Blog de Matt e o Poder da Comunidade Virtual

Originalmente, o blog de Matt serviu como um espaço para compartilhar histórias e fotos de viagens do casal. Contudo, após a morte de Liz, transformou-se em uma plataforma onde ele compartilhava sua dor e as novas experiências como pai solteiro.

Com uma popularidade crescente, o blog alcançou até 40.000 visitas diárias. E assim, se tornou uma fonte de conselhos, ajuda e encorajamento vindos de pessoas de todo o país. Em 2009, influenciado por este apoio, Matt decidiu deixar seu trabalho e se mudou brevemente para a Índia com sua filha. Lá, ele começou a escrever o que viria a ser um best-seller do New York Times.

Detalhes Realistas e Personagens Multifacetados

Muitos detalhes da vida real de Logelin foram incorporados ao filme. Assim como no livro, o personagem de Kevin Hart, Matt, perde sua esposa, Liz, devido a uma embolia pulmonar, assim como ocorreu com a verdadeira Elizabeth. Outros detalhes, como a família de Matt residindo em Minnesota e o nascimento prematuro de sua filha, também foram mantidos.

Contudo, a obra não se limita a replicar a vida de Logelin. O diretor e co-roteirista, Paul Weitz, após ler a autobiografia de Kevin Hart, “I Can’t Make This Up: Life Lessons”, infundiu no personagem de Matt características pessoais e experiências do próprio ator. Assim, o personagem enfrenta desafios não apenas como pai solteiro, mas também problemas originários de sua própria infância. Assim, une de forma única as histórias de Matt e Kevin Hart.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.