“Os Simpsons” Desperdiça Talentos: O Fracasso da Participação de Amanda Seyfried

Apesar de atrair grandes estrelas, a 35ª temporada de “Os Simpsons” desperdiçou participações especiais importantes. O foco em participações estelares parece ter substituído, em muitos episódios, a escrita inteligente que consagrou o desenho animado.

No auge de sua popularidade, “Os Simpsons” ousou nas participações especiais. Além de presidentes dos EUA, o programa contou com nomes como Michael Jackson, Johnny Cash, Elizabeth Taylor e Stephen Hawking. Esse recurso tornou-se uma marca registrada do show ao longo das décadas.

O Dilema da fama em Os Simpsons

O prestígio de “Os Simpsons” atrai astros, mas isso nem sempre se traduz em boas histórias. A participação de grandes nomes pode acabar ofuscando roteiros sólidos, algo especialmente frustrante quando esses talentos poderiam entregar muito mais com personagens bem construídos.

Amanda Seyfried: Oportunidade perdida

  • Pouco tempo de tela: Na temporada 35, episódio 11 (“O Monstro de Frinkenstein”), Homer engana seu caminho para um novo emprego com a ajuda do Professor Frink. A Dra. Spivak, personagem de Amanda Seyfried, tenta expor Homer, mas seu papel fica apagado.
  • Trama confusa: O episódio sofre com tramas paralelas que competem pela atenção. A imoralidade de Homer e os dilemas de Frink acabam prejudicando a personagem de Seyfried.
  • Potencial Subvertido: Seyfried ficou famosa por interpretar a golpista Elizabeth Holmes na minissérie “The Dropout”. “Os Simpsons”, que costuma referenciar acontecimentos reais, poderia ter invertido esse papel, colocando-a para desmascarar a fraude de Homer. A breve cena em que isso acontece no fim do episódio fica sem impacto.

A participação de Seyfried não foi um caso isolado. Outras celebridades, como Kylie Jenner e Taika Waititi, tiveram participações superficiais que mais se apoiavam na fama dos convidados do que em um papel significativo.

Enquanto isso, a participação de Elizabeth Banks como Persephone em “Sede de Fama: Uma História de Amor Corporativa” foi um destaque. O episódio faz até mesmo uma paródia de Theranos, empresa de Holmes. Infelizmente, a maioria das participações especiais da temporada 35 cai na armadilha do nome famoso em detrimento da qualidade narrativa.

É preocupante ver “Os Simpsons” priorizar participações de grandes nomes em detrimento de roteiros consistentes, afastando-se da fórmula de sucesso que o tornou tão querido pelo público. Tomara que as próximas temporadas recuperem o equilíbrio e entreguem episódios memoráveis, dignos da história da série.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.