Como a Netflix sabe quem está na sua casa? Tudo sobre o compartilhamento de senhas

A Netflix, gigante dos serviços de streaming, decidiu atacar o compartilhamento de senhas. Porém, muitos se perguntam como a Netflix identifica quem está em cada residência. Desde seu lançamento em 1997 como um serviço de aluguel de DVDs, a Netflix evoluiu rapidamente para a era digital, introduzindo seu serviço de streaming em 2007.

Essa inovação não apenas proporcionou uma nova maneira de assistir a filmes e programas de TV, mas representou uma mudança sísmica no consumo de mídia. Hoje, a Netflix conta com incríveis 247 milhões de assinantes globalmente (via Variety), destacando-se não apenas por seu vasto catálogo, mas também por criar conteúdo original aclamado pela crítica.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? CLIQUE AQUI e aproveite!

A Ascensão da Netflix e a Mudança nos Hábitos de Consumo

O sucesso da Netflix reflete uma tendência mais ampla no consumo de entretenimento. Sua interface amigável, combinada com a capacidade de transmitir conteúdo sob demanda, ressoou com as preferências dos espectadores por flexibilidade e variedade.

Como resultado, a Netflix se tornou parte do cotidiano de milhões, oferecendo desde séries viciantes até documentários instigantes. Seu êxito é um testemunho da transformação na maneira como o público se envolve com a mídia, onde a visualização tradicional de TV cedeu espaço para uma experiência mais personalizada.

No entanto, em 2023, a Netflix anunciou uma proibição ao compartilhamento de senhas, e surgiram maneiras específicas de como a Netflix identifica quem está em cada domicílio.

Por que a Netflix Adotou uma Política Rigorosa Contra o Compartilhamento de Senhas?

A decisão da Netflix de reprimir o compartilhamento de senhas é principalmente motivada financeiramente. A gigante do streaming estimou que mais de 100 milhões de pessoas em todo o mundo acessavam seu serviço por meio de senhas compartilhadas (via The New York Times). Esse número representa um grande contingente de potenciais assinantes, resultando em uma perda significativa de receita para a Netflix.

À medida que a competição no mercado de streaming se intensifica, com rivais como Disney+, Amazon Prime Video e Max disputando a participação de mercado, a Netflix concentra-se cada vez mais em maximizar sua base de assinantes para manter sua liderança de mercado.

Como a Netflix Define um “Domicílio”

A política da Netflix sobre o compartilhamento de contas depende de sua definição de “domicílio”. De acordo com a Netflix, um domicílio é composto por pessoas que moram juntas e usam a mesma conexão à internet. Ou seja, que compartilham o mesmo endereço IP para acessar a Netflix.

Essa política implica que usar uma conta da Netflix fora da localização principal, como na casa de um amigo ou durante uma viagem, pode ser considerado uma violação de seus termos. A definição é projetada para ser direta, porém rígida, permitindo à Netflix aplicar sua política de maneira mais eficaz.

Como a Netflix Detecta o Compartilhamento de Senhas

A Netflix utiliza um sistema sofisticado para detectar o compartilhamento de senhas. A principal ferramenta desse sistema é a análise de endereços IP, permitindo à Netflix determinar as localizações geográficas de onde uma conta é acessada. Se uma conta for acessada consistentemente a partir de várias localizações amplamente separadas, isso pode indicar compartilhamento de senhas.

Além do rastreamento de IP, a Netflix também monitora os IDs exclusivos dos dispositivos usados para acessar o serviço. Um número anormalmente alto de dispositivos diferentes fazendo login na mesma conta pode ser um sinal de compartilhamento de senhas.

Além disso, a Netflix analisa padrões de uso, como os horários em que a conta é acessada e os tipos de conteúdo visualizados, conforme explicado pela Netflix: “atividade da conta nos dispositivos conectados à conta Netflix”. Padrões discrepantes podem sugerir que a conta está sendo usada por pessoas em domicílios diferentes.

Essa combinação de rastreamento de IP, monitoramento de ID de dispositivo e análise de padrões de uso dá à Netflix uma visão abrangente de como cada conta está sendo usada, permitindo identificar e abordar casos de compartilhamento de senhas.

Existe uma Solução para o Combate ao Compartilhamento de Senhas na Netflix?

A principal solução para o combate ao compartilhamento de senhas na Netflix envolve adicionar membros adicionais a uma assinatura existente. No entanto, essa opção vem com um custo significativo. Sob a nova política, a Netflix permite que o titular da conta principal adicione subcontas de “membros adicionais” para pessoas com quem não moram, cada uma a um custo separado.

Por exemplo, o plano padrão da Netflix custa R$ 39,90 por mês. Adicionar outro membro a este plano pode incorrer em um custo adicional de R$ 12,90 por mês. Essa estratégia de preços efetivamente reduz a diferença de custo entre assinaturas individuais e contas compartilhadas, incentivando os usuários a optarem por assinaturas separadas.

O Impacto do Combate da Netflix ao Compartilhamento de Senhas

O combate não foi isento de desafios, e parecia ser uma batalha árdua para a Netflix. Houve uma considerável reação negativa da base de usuários da Netflix, com alguns assinantes de longa data expressando insatisfação e ameaçando deixar a plataforma.

Além disso, ter que comprar suas próprias assinaturas pode não ter proporcionado incentivo financeiro suficiente para alguns usuários, que optaram potencialmente por mudar para outras plataformas de streaming. No entanto, apesar dos contratempos, o combate ao compartilhamento de senhas na Netflix foi um enorme sucesso.

O combate da Netflix ao compartilhamento de senhas gerou resultados extremamente positivos, pelo menos em termos de crescimento de assinantes e receita da Netflix. No imediato após a implementação de políticas mais rigorosas, a Netflix relatou um aumento significativo de novos assinantes.

A empresa ganhou aproximadamente 9 milhões de novos assinantes em seu 3º trimestre. Ou seja, isso mostra que há uma clara indicação de que muitos usuários que acessavam o serviço por meio de senhas compartilhadas, optaram por abrir contas próprias.

Além disso, esse influxo de novos assinantes contribuiu para um aumento notável na receita. No terceiro trimestre, a receita da Netflix aumentou 8% em relação ao terceiro trimestre de 2022, sugerindo um benefício financeiro direto da nova política.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.