Ilha do Medo | Final Explicado do filme com DiCaprio

Treze anos após chegar ao cinema, o final de Ilha do Medo (2010) ainda desperta muitos questionamentos entre os espectadores. Com direção de Martin Scorsese, em suma, o longa-metragem acompanha a jornada de dois policiais em uma viagem a um hospital psiquiátrico para encontrar uma fugitiva.

Nos anos 1950, a fuga de uma assassina leva o detetive Teddy Daniels e seu parceiro a investigarem o seu desaparecimento de um quarto trancado em um hospital psiquiátrico. Lá, uma rebelião se inicia e o agente terá que enfrentar seus próprios medos.“, revela a sinopse oficial.

Anos se passaram, mas o desfecho de Ilha do Medo ainda rende diversas discussões. Muitas pessoas acreditam que Teddy (Leonardo DiCaprio) foi enganado. Outros, no entanto, defendem a narrativa do filme: ele era louco assim como todos os detentos do hospital psiquiátrico. Qual a verdade?

Abaixo, assista ao trailer oficial.

Entenda o final de Ilha do Medo

O final de Ilha do Medo surge com grandes reviravoltas ao espectador. Ao longo de quase todo o filme, o público acompanha a jornada de Edward Daniels. No entanto, o longa-metragem revela que o personagem interpretado por Leonardo DiCaprio, na verdade, não é o agente federal cujos espectadores acreditavam ser.

Ele era, na verdade, Andrew Laeddis, um paciente internado há dois anos após atear fogo contra a própria esposa. Por causa do luto e da culpa que sentia, ele desenvolveu uma outra personalidade para tentar escapar da Ilha do Medo. Assim, toda a trama de conspiração cai por terra?

Não exatamente. O personagem de DiCaprio até poderia ser o assassino maníaco que estava internado em um manicômio policial, mas nada disso apaga que o local era utilizado para fazer experimento com as pessoas. “Eles estão fazendo experiências com as pessoas aqui”, Teddy diz a Chuck, seu falso parceiro interpretado por Mark Ruffalo.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? CLIQUE AQUI e aproveite!

Teddy pode estar louco, mas não está errado. Tudo em a Ilha do Medo sugere operações governamentais. Desde guardas armados, até pacientes extremamente perigosos. Todas as instalações, em suma, são ultraprotegidas. Teddy descobre, mas não pode fazer nada a respeito. Afinal, ele próprio é um objeto de experimento por causa de controle mental.

Apesar da explicação, o final de Ilha do Medo não é um consenso. Nem mesmo DiCaprio entende que existem inúmeras interpretações para o longa-metragem. “Há um certo nível de ambiguidade no final deste filme e ao longo de todo o filme que pode levar o público a ter uma experiência diferente em futuras exibições”, disse ele.

Portanto, Ilha do Medo permanece com um desfecho ambíguo e repleto de questionamentos. Situações que podem render muitas discussões entre o público por anos e mais anos a frente.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.