Hereditário é baseado em fatos reais?

Um dos filmes de terror mais aclamados dos últimos anos, acaba de chegar na Netflix. Hereditário é a típica produção que prova que para aterrorizar não é necessário banho de sangue. Lançado originalmente em 2018, a produção é fruto do estúdio A24 e dirigida por Ari Aster.

Estrelado por Toni Collete, o thriller acompanha a família Graham, que é abalada pela morte da avó, uma mulher que escondia muitos segredos. Então, a partir desse momento, todos começam a ser alvo de acontecimentos sinistros. Principalmente, a solitária neta adolescente, Charlie (Milly Shapiro), por quem ela sempre manteve uma fascinação não usual.

Apesar de se tratar de uma história de terror, Hereditário utiliza elementos que, de fato, foram escritos por pessoas que acreditavam no demônio e praticavam magia negra. Conheça o que inspirou a trama central do filme.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? CLIQUE AQUI e aproveite!

Confira o trailer de Hereditário:

Bruxas, demônios e rock

Mais do que apresentar uma boa narrativa de terror, Hereditário traz elementos relacionado à mitologia demoníaca, assim como à bruxaria. Em especial sobre o Rei Paimon, demônio que possui Peter (Alex Wolf), é considerado um dos servos mais devotamente leais de Satanás na tradição luciferiana. Apesar de desconhecido no universo do cinema, o nome apareceu em vários livros sobre magia negra e encantamentos escritos no ano 1600.

Tais livros traziam feitiços muito praticados por estudiosos das Artes das Trevas, como Aleister Crowley, influente ocultista britânico, falecido em 1947. Ficou conhecido nos anos 1970, principalmente no cenário musical.

Bandas como Led Zeppelin, Rolling Stones, Beatles, assim como Black Sabbath e Iron Maiden, utilizavam como referência práticas realizadas por adoradores do ocultismo. Aqui no Brasil, Raul Seixas e Paulo Coelho, foram grandes devotos de Crowley.

Afinal, Titanic é mesmo baseado em fatos reais?

Quem é o Rei Paimon

De acordo com a tradição, Paimon é um dos reis de Jinnestan, uma terra das fadas e o reino dos djinn. Este conhecido por conceder desejos àqueles que os invocam, mas que exigem algo em troca. Assim sendo, Paimon espera o sacrifício de um ser humano, especialmente crianças. Ao passo que, em Hereditário, Charlie e Peter são as pessoas oferecidas pela avó.

Na mitologia demoníaca, ele também é retratado como comandante de uma legião de mais de 200 anjos. No entanto, ao se mostrar para quem o chama, ostenta um rosto efeminado, usa uma coroa e anda de camelo. Aliás, sua chegada é geralmente acompanhada por uma partitura musical. Em Hereditário, durante a coroação final do demônio Reborn, composição de Colin Stetson, exemplifica bem.

Mas, em alguns casos, há relatos que Paimon aparece como um espírito angelical com uma espada flamejante. Diz-se que tem uma voz rouca e só fala se aqueles que o invocarem exigirem que faça. Além disso, possui todo tipo de conhecimento em relação às artes, filosofias, ciências, mente, terra, vento, mar, bem como segredos sobre o universo.

Com o intuito de trazer veracidade ao filme, Ari Aster recebeu orientações da bruxa e demonologia Sarah Lyons, sobre como realizar o ritual conforme o The Key of Solomon – coleção de manuscritos com feitiços antigos atribuída supostamente ao Rei Salomão. Ao ver o resultado, Lyons se mostrou admirada pelos acertos atingidos pelo diretor.