Final de Não nos calaremos: Alma consegue justiça?

No final do mês de maio, a Netflix lançou, na sua plataforma, a série espanhola Não Nos Calaremos. Tendo como base o romance Ni una más, de Miguel Sáez Carral, a série retrata a vida de Alma, uma adolescente cuja vida muda drasticamente após um incidente em uma festa. Lutando para lidar com os eventos daquela noite, Alma decide manter o ocorrido em segredo, evitando contar a qualquer pessoa. No entanto, sua situação se complica ainda mais quando ela começa a receber mensagens ofensivas de um remetente desconhecido e se torna alvo de bullying por um grupo de garotos em sua escola.

Enquanto Alma enfrenta esses desafios, seus amigos também lidam com problemas sérios. Um deles se encontra preso em um relacionamento tóxico com um dos agressores de Alma. À medida que a série avança, somos apresentados a flashbacks reveladores daquela noite fatídica, que levantam a questão crucial: o que realmente aconteceu e quem é a pessoa responsável pelos tormentos de Alma?

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? CLIQUE AQUI e aproveite!

Quem estuprou Alma?

O que aconteceu com Alma naquela noite foi complicado, para dizer o mínimo. Começando com seu próprio estado mental e físico na época: ela não estava em boas condições para tomar decisões. Ela havia fugido de casa após ser barrada e orientada a não sair de casa. Em seguida, ela tentou beijar Davi e foi rejeitada, o que a atingiu com mais força do que o esperado.

Além disso, ela estava muito bêbada e sob efeito de drogas na época. E então, seu amigo Hernan apareceu. Ela não queria ir para casa naquele estado porque sabia que isso só a deixaria em apuros. Então, ela pediu a Hernan que a levasse para sua casa. E, em algum lugar no meio, Hernan afirma que ela concordou em fazer sexo com ele.

Por que Hernan abusou de Alma?

Como um bom amigo, ele deveria tê-la deixado em casa. Ele sabia que Alma não retribuía seus sentimentos quando ela estava sóbria, então quando ela concordou em (como ele afirma) dormir com ele bêbado, viu isso como uma oportunidade de estar com ela. Ele se aproveitou de sua vulnerabilidade, e a situação piorou para Alma quando ela sabia que não queria mais passar por isso, mas não podia dizer não a ele porque não sabia como ele reagiria a isso.

Nenhuma acusação seria feita contra Hernan, e mesmo que uma queixa policial fosse apresentada, ela não iria a lugar nenhum porque Alma estaria mentindo se dissesse que não concordava com isso. Se ela queria que parasse, por que não disse não? Isso seria usado para descartar o caso, e dá ao público muito o que pensar. Por que as meninas sentem que não podem mudar de ideia sobre sexo, mesmo que inicialmente tenham concordado com isso? Mais importante, por que seu amigo de infância justifica suas ações com a desculpa de seu estado embriagado?

No final, Hernan pede desculpas a Alma, aceitando sua culpa no assunto. Ele concorda que se aproveitou dela e deveria tê-la deixado em casa em vez de fazer sexo com ela. Alma também o perdoa, esperando que ele aprenda com seu erro e nunca o repita com outra garota.

A vítima como culpada

No início da série, vemos Alma erguer uma faixa em frente à escola, que denuncia a presença de um estuprador dentro de suas instalações. Mais tarde, quando as postagens de um certo “Coleman Miller” são mencionadas, especialmente a primeira legenda, “isso é o que eu parecia antes de ser estuprada”, parece que Alma foi vítima de estupro e ela foi isolada por outros por causa disso, em vez de fazer o culpado pagar por seu crime.

Em seguida, descobrimos que a vítima de estupro que Alma estava defendendo não era ela mesma, mas sua amiga, Berta. Essa, foi abusada sexualmente por seu professor de História por cerca de um ano antes de mudar de escola. Ela estava passando pelo divórcio dos pais e havia sido diagnosticada com transtorno de personalidade borderline. Mais tarde, quando Berta morre, e Alma descobre que o professor ainda está atacando e abusando de outras meninas, ela decide expô-lo, e é isso que nos leva à cena de abertura da série.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.