A assustadora história por trás do filme Sequestro Em Cleveland

Filme disponível na Netflix narra a triste história de três garotas mantidas em cativeiro durante 11 anos.

Em 2013, uma notícia chocou os moradores de Cleveland, em Ohio, Estados Unidos. A polícia havia resgatado três garotas que estavam desaparecidas. Uma delas havia sido sequestrada há 11 anos. Essa história assustadora é contada no filme Sequestro em Cleveland. O longa de 2015, está disponível na Netflix. Apesar de ser um soco no estômago, a produção vale ser assistida.

Conforme a sinopse, a trama acompanha Michelle Knight (Taryn Manning), uma mãe solteira. Ela acaba sendo a primeira de vítima de Ariel Castro (Raymond Cruz). Presa no porão, posteriormente acaba criando um forte laço com as outras vítimas sequestradas.

Confira o Trailer de Sequestro Em Cleveland

Quem eram as vítimas retratadas em Sequestro em Cleveland

A história de terror começou em 2002 com o sequestro de Michelle Knigth, na época com 21 anos. A fim de recuperar a custódia do filho, ela se dirigia para uma audiência. Contudo, um carro parou ao seu lado e Ariel Castro ofereceu uma carona. Devido a ansiedade, ela acabou aceitando. Assim, já dentro do veículo, Castro deu uma desculpa para mudar a rota. Em seguida Michelle desapareceu.

Amanda Berry, de 16 anos, foi a segunda vítima. Ela foi raptada dia 21 de abril de 2003, após sair do trabalho. Igualmente utilizando a gentileza como isca, Castro ofereceu uma carona. Para convence-la disse que seu filho trabalhava na mesma lanchonete que ela. Assim, ela desapareceu na véspera de seu aniversário. Já em 2004, foi a vez de Gina De Jesus.

Durante o caminho de volta para casa, ela telefonou para a mãe pedindo permissão para a amiga Arlene dormir em sua casa. Mas a mãe não permitiu. Assim sendo, as amigas seguiram cada uma para suas casas. Gina tinha apenas 14 anos e desapareceu em 2 de abril de 2004.

Leia também

Ligação entre os casos despertou a desconfiança do FBI sob Ariel Castro

Ao contrário de Michelle, a mãe de Amanda, iniciou as buscas logo após o seu desaparecimento. Assim, seu rosto tomou as manchetes dos jornais e as telas das televisões. Durante três anos ela não parou de procurar, entretanto acabou falecendo em 2006, de insuficiência cardíaca.

Devido a semelhança entre os casos, o FBI iniciou as investigações. Após o sequestro de Gina, publicou um retrato falado do suspeito. Ele havia sido identificado como um homem hispânico entre 25 e 35 anos, com cerca de 80kg e 1,78 m de altura. Segundo testemunhas, ele tinha olhos verdes, um cavanhaque e, possivelmente, uma barba fina. Quase tudo combinava com Ariel Castro. Na época com 43 anos, Castro levou todas as garotas para a mesma casa, na 2207 Seymour Avenue.

Longos anos de tortura e abusos

Durante 11 anos, as meninas sofreram abusos diariamente. Desde sessões de espancamento a agressões sexuais de todo tipo. Trancadas em quartos diferentes elas pouco viam os rostos uma da outra, bem como a luz do sol. Devido os estupros, Michelle engravidou cinco vezes e foi obrigada a abortar. Ela perdeu a audição de um dos ouvidos e precisou fazer uma reconstrução facial.

Amanda também engravidou. O bebê nasceu no dia 25 de dezembro de 2006. Michelle foi obrigada a fazer o parto. Sob as ameaças de Castro que dizia que a mataria caso o bebê não sobrevivesse. Assim, a criança viveu em cativeiro por seis anos. Como parte da tortura psicológica, ele comemorava as datas do sequestro de cada uma. Dessa forma, as colocava em uma mesa, na frente de um bolo. Assim, as fazia assistir suas respectivas famílias buscando-as na televisão.

O resgate e a condenação de Castro

No dia 6 de maio, de 2013, Castro saiu de casa e esqueceu de trancar uma das portas internas. Ao perceber o descuido, Amanda tentou alcançar a porta da frente da casa. Contudo, essa estava trancada e ela passou a gritar por socorro. Angel Cordero, vizinho da rua, foi o primeiro a escutar. A ele Amanda contou que havia sido sequestrada  e que na casa estava sua filha e outras duas mulheres.

Em entrevistas na época, o policial que resgatou Michelle contou que a ela pulou em seus braços no momento que abriu a porta do quarto. Já no hospital foi realizado o exame de DNA e confirmada a paternidade da menina. Castro se declarou inocente ao Grande Júri. Mas foi condenado por 329 crimes. Michelle Knight foi a única a comparecer no julgamento como testemunha de acusação. Castro foi condenado a prisão perpétua, mas em 3 de setembro, já na cadeia, ele se enforcou.

Enfim, curtiu o filme Sequestro Em Cleveland?

Então, siga a gente no Google News. Além disso, convidamos você a nos seguir nas redes sociais TwitterInstagram e Facebook para ficar por dentro de tudo que rola no mundo das séries e filmes.