‘Eu, Christiane F.’ volta aos cinemas 40 anos depois da estreia

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Há 40 anos estreava um dos filmes mais impactantes da história do cinema. Eu, Christiane F. – 13 Anos, Drogada e Prostituída marcou a década de 1980 e chocou o mundo ao apresentar cenas fortes de sexo e uso de drogas.  Dirigido por Uli Edel, o drama alemão voltou aos cinemas com uma cópia remasterizada. Com distribuição da A2 Filmes, o longa foi relançado em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Manaus.

Baseado no livro homônimo dos jornalistas Horst Rieck e Kai Hermann, lançado em 1978, o roteiro de Herman Weigel retrata de forma muito real, a juventude de Berlim dos anos 1970. O filme contou com a trilha sonora e participação de David Bowie. Aliás, foi no show do cantor, que tanto amava, que Christiane experimentou heroína pela primeira vez.

Qual o enredo de Eu, Christiane F.?

A trama acompanha Christiane (Natja Brunckhorst) uma adolescente de 13 anos de classe média. Após a separação dos pais sua irmã mais nova sai de casa para morar com pai. Assim, se vê obrigada a conviver com o marido da mãe de quem não gosta muito. Com o intuito de fazer ser aceita por um grupo de amigos, passa a frequentar a noite de Berlim. É nas boates que acaba conhecendo o submundo das drogas.

Então, ao ver os amigos, principalmente Detlev (Thomas Haustein) e Babsi (Christiane Lechle), experimentando cada vez mais tipos de drogas, percebe que para fazer parte da turma terá que fazer a mesma coisa. Como resultado acaba se viciando em heroína e para sustentar a dependência passa a se prostituir.

Quem é Christiane?

Christiane Vera Felscherinow nasceu em Hamburgo, na Alemanha. Aos 12 anos, já vivendo apenas com a mãe e o padrasto, iniciou seu envolvimento com drogas. Frequentando a Sound, na época uma das melhores discotecas da Europa, a jovem começou a consumir haxixe e LSD, bem como fazer uso de medicamentos como Valium e Mandrix. Logo em seguida conheceu a heroína.

Então, aos 14 anos passou a se prostituir na Berlin Zoologischer Garten Railway Station, uma estação ferroviária localizada no centro da cidade. No início escolhia seus clientes, mas em função do vício passou a atender diversos homens entre 1976 e 1977. Neste último ano, acabou sendo presa após ser acusada de tráfico e consumo abusivo de drogas. Foi no julgamento que conheceu os jornalistas Kai Hermann e Horst Hieck. Durante dois meses os três tiveram diversos encontros até que nasceu o livro Christiane F. – Wir Kinder vom Bahnhof Zoo.

Christiane chegou a tentar a carreira de atriz, atuando nos filmes Neonstadt (1982) e Decoder (1984), contudo teve diversas recaídas ao longo dos anos. Em 2013, lançou o livro A Vida, Apesar de Tud’. Em entrevistas, dizia que sabia que não viveria por muito mais tempo. No entanto, segue viva e está com 60 anos.

*No momento o filme não está disponível em nenhuma plataforma de streaming.