Eric: História Real por trás da série da Netflix

A nova série dramática policial da Netflix, “Eric“, não é baseada em uma história real específica, mas sim em casos fictícios inspirados em desaparecimentos de crianças. Embora o programa tenha estreado em 31 de maio, ao assistir aos episódios emocionantes, os espectadores ainda podem se perguntar se os eventos retratados realmente aconteceram.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? CLIQUE AQUI e aproveite!

Trama de Eric

A minissérie de seis episódios, estrelada pelo indicado ao Oscar Benedict Cumberbatch, conta a história de Vincent Anderson (Cumberbatch), um pai desesperado que luta contra o alcoolismo e comanda um programa infantil de TV chamado “Good Day Sunshine” na Nova York dos anos 1980. A vida de Vincent vira de cabeça para baixo quando seu filho de 9 anos, Edgar, desaparece sem deixar rastros a caminho da escola.

Obcecado por encontrar Edgar, Vincent se torna cada vez mais ansioso e instável. Ele se fixa nos desenhos do filho que retratam um boneco azul chamado Eric, convencido de que se colocar o boneco na TV, Edgar voltará para casa. Determinado, ele embarca em uma jornada pessoal sombria pelas ruas movimentadas e perigosas de Nova York, afastando sua família, colegas e até mesmo os detetives encarregados do caso.

Sobre a criação da série

A criadora da série, Abi Morgan, ganhadora do BAFTA e do Emmy, esclareceu que “Eric” não é baseado em um único caso real. A série é inspirada em vários desaparecimentos de crianças que ocorreram durante a juventude da criadora no Reino Unido.

“Não [é baseado em uma história específica]. Acho que se eu quisesse fazer isso, teria me aprofundado muito naquele caso específico”, disse Morgan ao USA Today. “Várias crianças desapareceram. Eu queria criar uma espécie de ‘todo tipo de criança’; o simples ato de sair um dia e não voltar para casa parecia muito significativo”, explicou ela.

Morgan ecoou esses sentimentos em entrevista ao RadioTimes.com: “Bem, na verdade, crescendo no Reino Unido nos anos 80, eu me lembro de ficar obcecada por aquelas histórias de crianças desaparecidas. E então, quando fui para Nova York, cuidei de um menino pequeno em Nova York em meados dos anos 80”.

Apesar de ser ficção, “Eric” serve como uma homenagem às cidades onde crianças podem desaparecer. “No centro da série está a crença de Vincent de que ‘eu quero viver em um mundo onde uma criança possa sair e voltar para casa em segurança'”, disse a cineasta galesa. Infelizmente, “há monstros nos lugares mais inesperados”.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.