Criminal Minds: Evolution | 2ª temporada coloca liderança de Prentiss à prova

A estreia da 2ª temporada de Criminal Minds: Evolution revive uma questão sobre Aaron Hotchner, presente na série original, que Emily Prentiss precisa enfrentar. Lembrando o caso da demissão de Thomas Gibson de Criminal Minds, a CBS precisou explicar a saída do personagem e, ao mesmo tempo, estabelecer o futuro da Unidade de Análise Comportamental (BAU) sem ele.

A solução encontrada foi revisitar o caso Foyet para encerrar a história de Hotch e trazer de volta a personagem de Paget Brewster, Prentiss, para assumir o posto de líder da BAU. Desde então, a equipe resolveu muitos casos e superou diversas crises. Quando o revival na Paramount+ chegou, Emily continuava como líder da BAU. A equipe enfrentava restrições de orçamento, além da indisponibilidade de Matthew Gray Gubler e Daniel Henney (Matt Simmons).

Mesmo assim, os perfiladores conseguiram dar conta do recado e derrotar Elias Voit e sua rede de assassinos em série. Não há dúvida de que Prentiss é uma ótima líder, e ninguém poderia ter assumido o comando do esquadrão após a saída de Hotch melhor do que ela. No entanto, a 2ª temporada de Criminal Minds: Evolution coloca isso em questionamento.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? CLIQUE AQUI e aproveite!

Rossi questiona a liderança de Prentiss

Na estreia da temporada, enquanto a BAU corre contra o tempo para resolver o mistério de Gold Star, Prentiss demonstra impaciência. Isso leva Dave Rossi (Joe Mantegna) a confrontá-la abertamente na frente de policiais locais. Prentiss questiona o comportamento de Rossi em um momento privado, dizendo que ele nunca teria feito o que fez com ela com Hotch. Independentemente da veracidade da afirmação, isso destaca a falta de atrito quando ela assumiu a liderança.

Normalmente, isso seria positivo, mas impediu que Prentiss se estabelecesse como uma sucessora digna de Hotch. Como Prentiss começou como colega e assumiu a posição de líder de forma repentina, sua equipe a vê mais como uma igual. É por isso que ela diz a Rossi que ele nunca se oporia abertamente a Hotch do jeito que fez com ela.

Capacidade de liderança de Prentiss é essencial para o futuro da BAU

O sucesso da BAU, além de ser formado por indivíduos altamente qualificados, tem como base a camaradagem entre os perfiladores. Isso não significa, porém, que conflitos internos não aconteçam. Questionar o processo de pensamento de Prentiss é positivo, desde que a equipe encontre uma maneira de superar isso, como ela e Rossi fazem na estreia da temporada.

Por mais difícil que seja, isso só fortaleceria o relacionamento deles e ajudaria Prentiss a ficar mais confiante em suas convicções como líder, especialmente porque a BAU seguirá em frente com a 3ª temporada de Criminal Minds: Evolution já confirmada.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.