BOMBA: Mais uma péssima notícia para a Marvel

O tão aguardado lançamento de As Marvels trouxe surpresas inesperadas para a Marvel Studios e a Disney. Mais uma vez, o lançamento nos cinemas denuncia uma nova fase desafiadora para o Universo Cinematográfico Marvel (MCU). Enquanto a expectativa era alta, os números iniciais sugerem um início abaixo do padrão para a franquia. Vamos explorar os detalhes deste novo capítulo e os fatores que contribuem para essa reviravolta nas bilheteiras.

+ Quer ganhar um teste de até 1 MÊS GRÁTIS DE STREAMING? CLIQUE AQUI e aproveite!

Um Início Incomum para o MCU

Com base nos ganhos de sexta-feira, As Marvels está no caminho para uma abertura doméstica que se classificará como o pior início da história do MCU. Essa notícia, inédita para a Marvel Studios de Kevin Feige, levanta questões sobre a possível fadiga dos super-heróis entre os espectadores. A rival DC, que enfrentou altos e baixos, agora observa enquanto a Marvel enfrenta desafios em seu tradicional domínio nas bilheteiras.

Os desafios não se limitam às bilheteiras. As Marvels já enfrenta repercussões negativas, sendo apenas o terceiro título do MCU a receber uma nota B do CinemaScore, após “Eternos” e “Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania”. Esse feedback é um contraste significativo com os muitos A’s que outros filmes do MCU conquistaram junto ao público. A pontuação dos críticos no Rotten Tomatoes, com 62%, também está no lado mais baixo do espectro.

O Contexto de Capitã Marvel

Para entender a magnitude desse início, é crucial olhar para o antecessor direto, Capitã Marvel. Em suma, o filme arrecadou impressionantes US$ 1.13 bilhão globalmente em 2019. A nova produção busca seguir os passos do sucesso anterior. Porém, enfrenta o desafio de conquistar o público sem o impulso direto de um filme dos Vingadores no horizonte.

Com a novidade de três protagonistas femininas e a direção de Nia DaCosta, primeira mulher negra a dirigir um filme da Marvel Studios, As Marvels desbrava novos territórios tanto na narrativa quanto na produção. As Marvels emerge como um ponto de virada inesperado para o MCU, desafiando as expectativas tradicionais. Este capítulo, repleto de complexidades, destaca a necessidade de inovação contínua na narrativa de super-heróis. Bem como, a importância de manter o interesse do público.

A jornada do filme nas bilheteiras e sua recepção global são testemunhos do dinamismo do universo cinematográfico e da constante evolução das preferências dos espectadores. Por fim, resta ver como a Marvel Studios se adaptará a esse novo cenário e quais lições serão aprendidas para os futuros lançamentos do MCU.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.