Big Brother Brasil: por que este reality show é um sucesso no Brasil?

Se você vive no Brasil, é impossível não saber o que é o Big Brother. O programa, que fez 20 anos de território nacional em 2022, tem o poder de fazer a população do país se dividir entre amor e ódio por 3 meses. Porque esta é a realidade: ou você ama, ou odeia.

Além do mais, também é verdade que, por mais que existam movimentos contrários, a maioria da população o ama de verdade… Hoje em dia, você pode até encontrar sites onde consegue dar palpites – como os esportivos – e fazer uma aposta Big Brother, que corresponde a investir dinheiro em quem você julga que será o campeão da edição.

A questão é que o game hipnotiza os telespectadores, que, atualmente, não acompanham mais apenas pela telinha da TV. As redes sociais encontradas na internet já fazem parte efetiva da forma de assistir ao show.

O Big Brother Brasil virou uma febre, com uma e outra edições um pouco flopadas, mas com uma maioria esmagadora de audiência recorde. Mas você sabe por que o programa alcança esta visualização tão grande? Não? Então compreenda um pouco mais da logística dele a seguir! 

Como funciona o Big Brother 

Todos os anos, em janeiro, a Rede Globo seleciona aproximadamente 20 participantes para confinar. A casa é equipada com centenas de câmeras que transmitem absolutamente todos os acontecimentos. Quando surgiu, o programa era completamente inovador. Isso causou uma curiosidade ímpar e adesão completa de todos os espectadores locais.

Com o passar dos anos, algumas mudanças surgiram. Dentre elas, a presença de personalidades famosas no confinamento – o que também fez com que a curiosidade fosse aguçada novamente.

O instinto humano possui naturalmente o interesse pela vida alheia, e quanto mais se acompanha o decorrer dos fatos, mais se quer saber sobre o que irá acontecer.

O brasileiro também possui uma relação um tanto quanto peculiar quando se trata de famosos: a relevância que dá para a vida pessoal dos artistas é algo que ultrapassa o simples saber sobre os dons profissionais. Juntando tudo isso, o natural e o comportamento local, claro que o resultado só poderia ser um programa de sucesso. O que é!

A relação do público com o show

Com todo esse perfil de público traçado, não é de se espantar os altos índices que o programa atinge com certa facilidade. Os produtores observam e analisam muito bem a cada edição – o que funciona e o que não é de agrado da maioria. Assim, conseguem construir cada vez mais um projeto que seja exatamente o que a plateia espera ver.

Claro, na medida do possível: já que o desenrolar do programa depende exatamente do comportamento individual de cada um dos participantes. E saber qual será esse comportamento traz aos espectadores uma grande ânsia por acompanhar.

O que acontece, atualmente, é que, ao contrário das primeiras edições do programa, onde a intervenção do público era limitada a telefonemas, hoje é possível votar incansavelmente via internet e ainda participar de discussões e até mesmo campanhas a favor ou contra algum participante da edição.

Um exemplo muito claro disso foi a última edição, que contou com eliminações com números assustadores:

  1. Karol Conká – 99,17% de rejeição;
  2. Nego Di – 98,76%;
  3. Viih Tube – 96,69.

Big Brother Brasil, um chamariz de atenção e dinheiro

Com tanta gente acompanhando cada passo, não seria inteligente deixar passar em branco o espaço de visibilidade para comercializar uma série de produtos e marcas, não é mesmo? Pensando nisso, é claro que a rede de TV otimiza cada brecha que encontra e comercializa todo o tipo de coisa ligada a marca Big Brother Brasil. 

Hoje em dia, você pode:

  • Ter as roupas de cama que aparecem na telinha;
  • Organizar suas finanças utilizando o mesmo app que eles utilizam para gerenciar suas “estalecas”;
  • E ainda é possível receber uma comidinha gostosa no conforto de casa com a ajuda do app de delivery. 

Estas são apenas algumas entre outras muitas outras parcerias que o BBB firma. No ano de 2022, na vigésima edição do programa, a arrecadação passou de 500 milhões de reais apenas em patrocinadores e, para o ano atual, estima-se que esse valor ultrapasse os 600 milhões. Uma graninha que demonstra o real poder influenciador que o programa tem diante de seus espectadores, não é mesmo? 

Vale a pena acompanhar o BBB?

Como tudo na vida, há de se ter medida. Sendo para fins de lazer ou até mesmo algo mais profundo, como análise comportamental de um grupo em isolamento, o Big Brother Brasil tem se mostrado cada vez mais interessante para o público.

Apesar de muita gente ainda achar que se trata apenas de futilidade, o programa traz assuntos relevantes e atividades muitas vezes que fazem com que a audiência pare e pense sobre o que está acontecendo.

O importante é sempre entender o contexto, interiorizar que os fatos são controlados (ainda que minimamente) e aproveitar o que for possível, sem se alienar ou deixar de acompanhar os fatos da vida real por conta de um programa de televisão.

O Big Brother iniciará novamente em 2023 com muitas novidades e muitos fatos para todo mundo ver de perto. E você, também vai dar uma espiadinha?

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.