Barbie não é só um filme de sucesso; é um marco no cinema de comédia

O cinema de comédia sempre teve seu espaço, mas raramente seus filmes alcançaram os recordes das bilheterias mundiais. No entanto, o ano de 2023 viu essa realidade se transformar graças ao surpreendente sucesso de “Barbie”, que não só quebrou recordes antigos, mas também desafiou percepções sobre o potencial comercial do gênero.

Lançado em julho de 2023, “Barbie”, dirigido por Greta Gerwig e estrelado por Margot Robbie, foi parte de um momento icônico no cinema. Mesmo tendo a competição do lançamento de “Oppenheimer”, de Christopher Nolan, o filme saiu na frente, conquistando corações e recordes. De fato, o fim de semana de estreia, carinhosamente apelidado de “Barbenheimer”, viu “Barbie” alcançar o posto de melhor abertura de todos os tempos para uma diretora mulher e continuar sua ascensão impressionante na segunda semana.

Barbie vs. Gigantes da Comédia

Antes de “Barbie” entrar em cena, o recorde de comédia mais lucrativa nos EUA pertencia ao clássico natalino “Esqueceram de Mim” (1990), que manteve sua posição por mais de três décadas. No entanto, “Barbie” ultrapassou essa marca, arrecadando impressionantes US$ 394 milhões contra os US$ 285 milhões de “Esqueceram de Mim”.

A nível mundial, “Se Beber, Não Case! Parte II” era o rei das comédias, com um total de US$ 586 milhões. No entanto, até 4 de agosto de 2023, a bilheteria mundial de “Barbie” já atingia US$ 816 milhões, superando o antigo líder.

A Marca de Um Bilhão: O Próximo Passo para “Barbie”?

Com seu sucesso estrondoso, “Barbie” está no caminho de cruzar a cobiçada marca de US$ 1 bilhão nas bilheterias. Caso continue nessa trajetória, o filme provavelmente alcançará essa marca até o final de seu terceiro fim de semana. Se isso ocorrer, “Barbie” se tornará o segundo filme de 2023 a atingir essa marca, logo após “Super Mario Bros., O Filme”.

A conquista de “Barbie” levanta uma questão: por que as comédias geralmente não fazem tanto dinheiro quanto outros gêneros? A maioria das comédias são filmes originais, sem vínculo com franquias estabelecidas e, geralmente, são produzidas com orçamentos menores. Assim, elas têm menos investimento em marketing e distribuição. “Se Beber, Não Case! Parte II” é uma exceção, mas a norma para comédias é uma escala menor.

Contudo, “Barbie” quebrou essa norma. A combinação do talento da equipe, o fenômeno “Barbenheimer” e o fato de “Barbie” estar ligada a uma propriedade intelectual conhecida globalmente, permitiu que o filme se destacasse.

Gostou do nosso conteúdo? Acompanhe-nos no Google News e não perca nenhuma notícia.